Ai que dor de dente

 
Era um viajante que viajava num belo cavalo, já estava quase noite quando resolveu pedir um abrigo numa casa. Bateu à posta e saiu uma bela mulher, mal trajada mas muito bonita. Ele se apaixonou e foi logo partindo para cima. Ela falou:

- Não dá! Meu marido está para chegar.

Então ele teve a idéia:

- Se você topar, quando seu marido chegar você fala que está com dor de dente, e deixa que o resto é comigo.

Quando o marido chega ela começa a gritar:

- Ai, ai, que dor de dente, aí que dor insuportável.

O marido, todo preocupado, ficou sem saber o que fazer, quando chega o viajante em seu belo cavalo. Bateu palma e o marido saiu para atendê-lo. O viajante diz:

- Boa noite meu amigo, tudo bem?

- Não, está tudo péssimo! Minha mulher está com uma terrível dor de dente e tenho que ir a cidade e não tenho nem uma bicicleta.

- Por isso não, vá no meu cavalo! - Diz o viajante.

Sabendo que o marido da mulher era analfabeto ele disse:

Vou dar um nome de remédio que é muito bom. Escreveu um suposto nome de remédio e disse:

- Entregue para o farmacêutico e tudo bem.

Ele chega na farmácia e fala que sua mulher está com dor de dente, entrega o papel e diz:

- Eu quero este remédio.

No papel estava escrito:

"Caro amigo da cidade, embora nem sei quem é, segure este corno aí enquanto eu fodo esta mulher".

O farmacêutico, quando lê o papel já entende tudo e diz:

- Vou mandar preparar este remédio.

Deu um tempo legal, misturou água com açúcar, colocou num frasco e deu para o marido:

- Este é o remédio que o senhor pediu. Por favor entregue este papel a mesma pessoa que me mandou.

E nele estava escrito:

"Caro amigo da roça, que seja um bom freguês, se não fodeu do seu gosto, mande este corno outra vez".