O que a bebida não faz
 


O cara já tinha bebido mais de vinte garrafas de cerveja e, no auge da bebedeira, decidiu ir para outro bar.
Bêbado é assim, quando decide, faz e pronto. Mas quando ele foi se levantar da cadeira, plaft, caiu de cara no chão.
Então ele tentou se levantar e, pá, caiu de novo. Então o bebum se rastejou até a porta do bar. Quem sabe, tomando um ar fresco ele conseguisse levar.
Ele esperou um pouco, tentou se levantar e, bum, desmoronou outra vez. Então ele começou a se rastejar.
Pelo menos isso ele conseguiu. Foi se rastejando pela rua e teve pelo menos uma idéia inteligente: resolveu desistir do outro bar e ir pra casa, já que não conseguia nem andar.
Depois de se rastejar alguns quarteirões ele chegou em casa. Agora ele conseguiria levantar. Que nada! Caiu de novo! E foi rastejando até a sua cama.
Acordou na manhã seguinte com a esposa dando uma tremenda bronca:
— Bonito, hein! Bebendo novamente na rua até tarde!
— Quem disse isso? — perguntou ele, com olhar inocente.
— Ligaram do bar e disseram que você esqueceu a cadeira de rodas lá de novo