Maradona no inferno



Um dia, num acidente de avião, o Pelé morreu. Por coincidência (ou não), Maradona morreu em seguida (não se sabe de quê).

Ambos se viram na ante-sala do céu e foram informados de que, de uma entrevista com Deus, quem fosse aprovado ficaria lá.

Pouco depois chega Deus e, ao avistar Pelé, fica todo entusiasmado, aperta-lhe a mão, abraça-o e em português chama-o de Rei.

Olha para o Maradona e diz friamente “olá” (o intérprete traduz para ele). Informa a ambos que iniciaria as perguntas e que Pelé seria o primeiro.

Maradona percebe que ele não está abafando e pensa consigo: “Vou repetir e melhorar o que Pelé disser. Assim, se Deus gostar da resposta dele vai gostar ainda mais da minha. ”

Pergunta Deus:

- Como vocês definem suas carreiras?

Pelé diz com humildade:

- Eu senti cheiro de Tuas Divinas mãos na minha carreira a vida inteira.

No que Maradona tasca:

- Eu, com minhas mãos divinas, cheirei a vida e a carreira inteira.

Deus pergunta:

- Como vocês definem suas vidas?

Pelé diz com sinceridade:

- Eu tive uma vida feliz graças a Ti, de bacana. A droga é que, com a bola, não pude fazer mais pelos irmãos menos favorecidos.

Maradona entendeu mais ou menos o que ele disse(falavam em português) e chutou:

- Graças à minha Majestade, minha vida foi legal, muita bagana, muita droga, fui favorecido pelos irmãos argentinos, chamado de ídolo, Rei, astro. . .

Deus cortou perguntando:

- Como vocês se definem?

Pelé, com singeleza, diz:

- Sou um homem simples, considerado Rei, mas não me acho especial.

Maradona disse:

- Eu me acho um astro, um Rei, um ídolo, um deus!

Deus, irritado, dispara:

- Êpa, este cargo ainda é meu!

Maradona rebate:

- Não é o que eu e o povo argentino achamos e pode tratar de desocupar minha cadeira - disse ele.

Ouve-se um enorme trovão e o chão sob o pé de Maradona se abre e ele cai.

Deus olha pra Pelé e diz:

- Eu queria que você conhecesse o castigo dele, olha aqui - e mostrou um monitor.

Lá estava Maradona, no inferno, todos os demônios, com cara de Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Rivaldo vestidos de canarinho, com estrela de Penta bordada no peito; o Diabo era a cara do Felipão; o idioma oficial, português; moeda Real. Teria que assistir todas as novelas da Globo, todos os jogos do Brasil

em transmissão simultânea, via Embratel, Brasilsat, até peladas e gritar Pentacampeão eternamente!

Deus se virou para Pelé e sorrindo disse:

- Deus só tem um, né Pelé?